UNIVEM
Internacionalização

INTERNACIONALIZAÇÃO DO UNIVEM = EXIGÊNCIA DE UM MUNDO GLOBALIZADO

 

As instituições de ensino superior terão de ser cada vez mais internacionais. Neste sentido, pensar o futuro do Univem como parte do seu desenvolvimento é considerar sua condição de ser cada vez mais internacional, para sobreviver com o fator excelência. Mas, o que é a internacionalização? Imaginada como uma estratégia para compartilhar com universidades de outras nações conhecimentos acadêmicos e poder obter visibilidade em mundo globalizado. Para isto, exige não apenas parecer internacional, mas uma capacidade de apresentar um padrão de qualidade com ações e projetos que levem, de forma efetiva, aos desfrutes dos benefícios proporcionados pela internacionalização.

O Univem mantém, atualmente, convênios acadêmicos com universidades da América Latina e da Europa, e continua ampliando os convênios num ritmo acelerado. Muitos alunos e professores já estudaram e se capacitaram em universidades no exterior. Considerando a realidade do século XXI e tendo como base o proposto no Projeto Pedagógico Institucional (PPI), contido no Plano de Desenvolvimento Institucional PDI, do Univem, a sua internacionalização caminha no sentido de um crescimento constante. 

Junte-se a isto o fato de que o Univem tem muito desenvolvido, nos últimos anos, a área de tecnologia e o fato de que o Parque Tecnológico de Marília está sob sua coordenação, podendo atrair professores e alunos de universidades de outros países.

Enfim, o trabalho está começado e sempre com o apoio da Reitoria, estimulando e oportunizando experiências diversificadas de mobilidade em instituições de educação superior estrangeiras. É um processo muito produtivo que aproxima pessoas e produz conhecimento para atingir uma compreensão mútua ultrapassando fronteiras culturais. A região de Marília recebe também os frutos da internacionalização.

 

O Programa Bolsas Ibero-Americanas tem como objetivo fundamental contribuir, por meio do intercâmbio de estudantes de graduação de instituições de ensino brasileiras, portuguesas, espanholas, argentinas, chilenas, colombianas, mexicanas, porto-riquenhas, peruanas e uruguaias, para incrementar a qualidade da formação dos alunos de graduação das instituições de ensino participantes.